Notícias

Written on 30/11/-0001, 00:00 by
previ-carim-informacao-do-saldo-devedor  A ABRAPREV tem recebido dos seus associados, vários pedidos de orientação sobre que fazer, quanto à resposta da PREVI-Carim, às informações, por eles solicitadas à Carteira Imobiliária da Previ. Aos mutuários que têm Ação Judicial, pedindo revisão do Contrato Imobiliário, quando solicitam informações sobre o saldo devedor dos seus respectivos contratos, a Carim tem respondido que “devem solicitar judicialmente”.   Dr. José Roberto de Oliveira Junior, dos quadros da JCA Advogados Associados, escritório conveniado à ABRAPREV, orienta que nossos associados devem encaminhar notificação com o seguinte teor...”    “À Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil - PREVI À DISEG – Diretoria...
379 0
Written on 30/11/-0001, 00:00 by abra_master
governo-muda-norma-que-define-rentabilidade-de-fundos-de-pensao  Pela nova regra, cada plano de benefícios terá uma meta atuarial que considerará o retorno esperado dos investimentos e o prazo médio de pagamento dos benefícios.   O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) aprovou em (19/11) uma nova regra que definirá a meta atuarial dos fundos de pensão. A proposta apreciada pelo colegiado foi antecipada pelo Correio e prevê que a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) publicará anualmente uma tabela com as taxas parâmetros para diferentes prazos.   Na prática, cada plano teria a própria meta atuarial, ao considerar a rentabilidade esperada dos investimentos e o prazo médio de pagamento dos benefícios....
Written on 30/11/-0001, 00:00 by abra_master
acao-dos-expurgos-da-poupanca-ouro-abraprev-alerta-nao-perca-o-prazo  Embora o Banco ainda possa recorrer da decisão, conforme foi noticiado pela imprensa, o direito de reclamar o expurgo em juízo extingue-se no próximo mês de outubro, quando o trânsito em julgado da decisão completa 5 anos.   Entenda o Caso   A Ação dos Expurgos inflacionários na Poupança-Ouro, referentes ao Plano Verão (janeiro/1989) foi movida pelo IDEC – Instituto de Defesa do Consumidor, e transitou em julgado em outubro de 2009, reconhecendo o direito de todos os poupadores. Desde então, o Banco do Brasil vem recorrendo, tentando reverter ou ao menos restringir a abrangência da decisão. Unanimemente, os Ministros do STJ reiteraram que...
722 0